NOTÍCIAS

VIVEIRO SOLIDÁRIO - 14/04/2011


A diretora Jane Aparecida da Rocha e Silva, da Escola Municipal Tereza Pinheiro de Almeida, localizada na Japuíba, falou ao japuiba.com sobre o projeto “VIVEIRO SOLIDÁRIO”, em 11 de abril:


 

Ela disse que antes do Viveiro, havia outro projeto - o “Horta Solidária”, que foi desenvolvido levando em consideração a questão de alimentação e para melhorar a relação dos alunos em sala de aula através do manuseio da terra, visando a disciplina pelo trabalho de produzir os próprios alimentos em uma horta na escola. Chegaram a plantar cenoura, rabanete, couve, alface e outros, que eram revertidos em merenda para os próprios alunos. O projeto foi ampliado e levado pelos alunos participantes aos seus domicílios e tudo que era produzido era trocado por alimentos, que eram incluídos em cestas básicas para a população carente da região. O “Horta Solidária” não teve continuidade devido à suspeita de que o solo estava contaminado e aí abriu-se espaço para outro projeto: o “Viveiro Solidário”, em que os alunos voluntários plantam mudas de plantas nativas da Mata Atlântica para reflorestar o bairro. Jane frisa que as mudas não são vendidas, são trocadas em eventos por alimentos não perecíveis para montar cestas básicas. Jane ainda explica que não há famílias cadastradas, mas a escola, de forma geral, conhece os alunos que precisam de ajuda. Os alunos voluntários são de várias turmas e até mesmo alunos que já terminaram e saíram da escola, voltam apenas para participar dos trabalhos no viveiro. Eles participam desde a semente até a troca, anotando tudo em relação à muda. Montou-se um núcleo de educação ambiental para criar multiplicadores de ações para a preservação do meio ambiente. Esses alunos realizam palestras e oficinas com materiais recicláveis, além de estimular a montagem da horta nos próprios domicílios. O objetivo do projeto é estimular a formação de lideranças estudantis vinculadas às questões de construção de uma cidadania participativa. Já participaram de evento no Shopping Pirata’s, da qual é parceiro, com a ajuda do supermercado Zona Sul. As pessoas levam as mudas e deixam 1 kg de alimento. Ano passado conseguiram montar 17 cestas completas.

Jane disse que a estrutura do viveiro ainda não é a ideal, embora já tenham produzido mais de 3000 mudas, mas também já perderam muitas devido ao sol, à chuva, por falta de espaço para transplantar e por tudo isso, algumas vezes o viveiro teve de ser interrompido. Para consolidar o projeto é necessário parcerias e a Technip trouxe para Angra dos Reis, dentro de sua Agenda Social, um evento voltado para preservação ambiental, contemplando o projeto “Viveiro Solidário”, nos dias 12 a 15 de abril, no CEA (Centro de Estudos Ambientais), no Balneário. Terão oficinas de reciclagem, exposições de projetos, mostra de curtas metragens e fórum de debates. O ingresso é 1 kg de alimento não perecível, que será destinado às famílias atendidas pelo Viveiro Solidário.