NOTÍCIAS

PRAIA DA RIBEIRA - 21/03/2011


Um "boom imobiliário" que preocupa


         A Ribeira é um bairro tranqüilo, que fica próximo à Rodovia Rio-Santos, na Grande Japuíba, tendo nas mediações uma vasta rede de comércio. A Ribeira teve um boom imobiliário há alguns anos atrás e antes não passava de uma área coberta de vegetação e mangue. Acabou se transformando no bairro nobre da Grande Japuíba, onde existem mansões com áreas enormes, jardins e piscinas e onde os preços dos imóveis deram um salto estrondoso. Ninguém paga menos de 150 mil por uma casa de 2 quartos, cômodos pequenos e paredes geminadas, em uma área total de 90 m². E cada vez surgem mais construções; porém, basta dar uma volta para notar que faltam cuidados estruturais que tornariam a Ribeira um bairro mais bonito. O principal fato gerador é a ocupação, porque o que mais se vê são canteiros de obras e prédios sendo levantados, o que acaba gerando alguns problemas estruturais preocupantes, como a falta d’água, para quem não tem uma cisterna e a destruição do meio ambiente, pois existe uma área de mangue que é prudente preservar. Outro problema é a vazão precária da água da chuva, o que gera ruas alagadas em dias de chuvas intensas. Há postes sem lâmpadas, tornando alguns trechos da Rua Ilha Grande um grande breu. Não existem calçadas ao longo da Rua Ilha Grande, o que pode causar acidentes devido a alguns motoristas abusados, que pensam que a rua é pista de corrida. Há também menores dirigindo motos e carros, provavelmente com autorização de pais desavisados. Existem terrenos onde o mato tomou conta, juntamente com entulhos que não deveriam ser jogados no local, além de buracos nas ruas. A impressão é que alguns trechos do bairro estão abandonados, embora haja cercas e muros. Talvez, os moradores devessem se reunir e reivindicar soluções a quem é devido, para que os problemas sejam sanados e não cheguem a uma proporção maior. A mata que está sendo destruída para a divisão dos terrenos em lotes, por exemplo, deveria ser implantada em outra área, como por exemplo, nas calçadas ao longo da Rua Ilha Grande, pois em dia de verão, seria um alívio ter sombra por onde caminhar, e ainda seria uma atitude sustentável. Não adianta cada um se esconder atrás de seus muros altos, protegidos por cães bravos e se esquecer do todo, ou seja, do meio que cerca sua casa. Creio que se todos os moradores se unirem em busca do melhor, a Ribeira se tornaria um bairro mais organizado e ainda mais agradável para morar.