NOTÍCIAS

Vítimas das chuvas podem sacar FGTS - 16/03/2010


Atendimento vai até o dia 26 de abril na Caixa de Angra dos Reis



Mais um fruto colhido com os esforços realizados pela equipe da prefeitura por ocasião das chuvas do dia 1º de janeiro, quando, em tempo recorde preparou o Avadan, que é o Formulário de Avaliação de Danos. A agência da Caixa Econômica Federal de Angra dos Reis inicia nesta segunda-feira, dia 15, o atendimento às vítimas das chuvas do início do ano que queiram sacar o FGTS. O saque está sendo possível em razão do estado de calamidade pública decretado pela Prefeitura de Angra no dia 4 de janeiro. O atendimento para esta finalidade vai até o dia 26 de abril.

 Poderão sacar aqueles que possuem saldo de FGTS e tiveram seus imóveis afetados pelas chuvas, como nos casos de enchente, deslizamento e inundação. É preciso que o imóvel tenha sido vistoriado pela Defesa Civil municipal e conste na relação de risco do Avadan. Os documentos necessários são: originais e cópias de identidade, comprovante de residência (entre setembro e dezembro), carteira de trabalho, além do termo de interdição ou declaração da Defesa Civil. O saque do FGTS em razão de calamidade pública é de até R$ 4.650,00.

 Antes de ir à agência é preciso fazer o agendamento pelo telefone 0800-7260101. A Caixa informa que providenciou a instalação de seis guichês extras para este atendimento, com reforço de funcionários de outras unidades.

 A Secretaria de Ação Social da prefeitura poderá dar orientações sobre o serviço. O telefone da secretaria é 3377-4106. O endereço é Praça Guarda Marinha Greenhalg, S/Nº, Centro.

AVADAN
 Avadan foi o documento que validou o decreto de calamidade pública, homologado pelos governos federal e estadual. Uma força tarefa foi montada para a sua preparação, reunindo profissionais como o secretário de Governo e Defesa Civil, Carlos Alexandre Soares e engenheira Cristina; o presidente do SAAE, Carlos Alberto Marcatti; o secretário de Obras e Serviços Públicos, Ricardo Tabet; o secretário de Meio Ambiente, Marcos Vargas; o secretário de Atividades Econômicas, Alexandre Tabet; o subsecretário de Agricultura e Pesca, Humberto Martins; e o presidente da TurisAngra, Marcus Venissios Barbosa.
         
 O Avadan retrata o cenário do município após o desastre.  Nele é relatado o número de pessoas que sofreram danos físicos durante o processo; desalojadas (temporariamente em casa de parentes ou amigos), 2.284 pessoas; desabrigadas (assistidas em abrigos mantidos pela prefeitura), 652; deslocadas (pessoas que após as chuvas saíram do município), 80; desaparecidas, 2 (até esta data, no Morro da Carioca e na Praia do Bananal); levemente feridas, 31; gravemente feridas, 9; mortas, 52 (agentes das Defesas Civil Estadual e Municipal, continuam as buscas por duas vítimas, uma na Praia do Bananal e outra no Morro da Carioca).

Fonte: www.angra.rj.gov.br