NOTÍCIAS

Defesa Civil fornece laudo para o "Recomeçar" - 18/01/2010


O secretário Carlos Alexandre abriu as portas da nova sede ainda em construção para atender os moradores


      A Prefeitura de Angra, através da Secretaria de Ação Social, está ajudando as famílias atingidas pelas chuvas com  o benefício social “Recomeçar”. Em função da tragédia ocorrida em Angra dos Reis na madrugada do dia 1º de janeiro, cerca de 3.400 pessoas estão desalojadas, até a segunda-feira, 18. Este número sofre alterações à medida que são realizadas as vistorias pelo Setor de Engenharia da Subsecretaria de Defesa Civil, onde são feitas ou não interdições das residências. A média estimada por casa interditada é de quatro pessoas.
      O “Recomeçar” visa ajudar com recurso monetário quem perdeu sua casa, morava de aluguel ou era proprietário de casas alugadas que foram atingidas pelas consequências das chuvas fortes que caíram sobre o município do dia 30 de dezembro de 2009 ao dia 1° de janeiro de 2010. Apenas nesses três dias choveu o dobro do previsto para todo o mês de dezembro.
      O secretário de Governo e Defesa Civil Carlos Alexandre Soares abriu as portas para a população de parte da nova sede da Defesa Civil, no São Bento, que está em fase final de construção. Na nova recepção os moradores, que vão a busca da documentação necessária para finalizar o processo para recebimento do recurso, são recebidos com mais conforto e qualidade. Em período de normalidade o atendimento é feito das 10h às 16h, porém com o aumento significativo do número de ocorrências em função das chuvas, o atendimento acontece das 8h às 18h, de segunda a sexta-feira.
      O cadastro para o “Recomeçar” está sendo feito na Associação de Moradores do Morro da Carioca, das 8h às 17h, e também na Secretaria de Ação Social, que fica na Praça Guarda-Marinha Greenhalgh, no Centro da cidade. Foram cadastradas até o momento 900 famílias. Dessas, 430 solicitaram o benefício e 225, até o momento, receberam o auxílio.
      Para se cadastrar é necessário apresentar o termo de interdição do imóvel que residia, assegurando que o beneficiário não irá morar em área que ofereça risco geológico e geotécnico, que é fornecido pela Defesa Civil. O termo de interdição servirá para a Secretaria de Ação Social fazer a ficha de atendimento do morador no serviço social (cadastro). Após essa etapa, o beneficiário deverá ir até a Defesa Civil e passar o endereço completo do local onde pretende residir para solicitar um laudo de vistoria, o “Nada Opôr”. Com o laudo (Nada Opôr) em mãos, o mesmo deverá retornar à Secretaria de Ação Social com todos os documentos (termo de interdição, laudo Nada Opôr, RG e CPF) e dar entrada para recebimento do benefício social “Recomeçar”. Em caso de perda dos documentos, apresentar qualquer documento oficial.
      O benefício social será pago em até uma semana após o cadastramento e por até 180 dias. O valor do benefício será de um salário mínimo nacional vigente por mês, ou seja, R$ 510,00, e será concedido apenas um por unidade residencial interditada.

Fonte:www.angra.rj.gov.br