NOTÍCIAS

Projetos emergenciais e de prevenção - 11/01/2010


Secretária de Meio Ambiente espera que cerca de mil habitações sejam construídas em Angra


        O secretário de Meio Ambiente, Marco Aurélio Vargas, recebeu neste sábado, dia 9, a secretária de estado de Meio Ambiente, Marilene Ramos, na sede da Defesa Civil de Angra dos Reis. O encontro, que também incluiu o secretário de Obras, Ricardo Tabet, e o subsecretário de Habitação, Leonardo Corrêa, foi para dar continuidade aos projetos que serão implementados no município, nas áreas de habitação e contenção de encostas, assim como para começar a definir a distribuição dos R$ 80 milhões que serão liberados pelo Ministério da Integração Nacional.

       Marilene disse que os projetos precisam ser definidos para que sejam levadas ao governo federal. Disse também que acompanhará o governador Sérgio Cabral, na quarta-feira, dia 13, em seu encontro com Lula para a apresentação das propostas que irão beneficiar não só Angra, mas também cidades da Baixada Fluminense.

       Marilene afirmou na reunião que espera que em Angra sejam realizados projetos habitacionais que somem cerca de mil habitações. Elas serão fundamentais para o assentamento dos moradores que hoje vivem nas áreas de risco. Sobre o trabalho de contenção de encostas, a secretária destacou as áreas mais emergenciais, no Morro da Carioca e no Bananal, ilha Grande, onde ocorreram os deslizamentos com vítimas fatais. 

       Junto com Marilene vieram técnicos de sua pasta, do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa em Engenharia (Coppe/UFRJ) e do Departamento de Recursos Minerais. O Coppe avalia os riscos geológicos e geotécnicos, o DRM é responsável pelo mapeamento das áreas de risco e o Inea realiza o monitoramento dessas áreas. Todos estão trabalhando em suas avaliações. Além da reunião, os secretários e o corpo técnico visitaram mais alguns pontos do município: rios Bracuí, Mambucaba, Perequê e Japuíba para análises que servirão para os projetos de macrodrenagem. As obras de macrodrenagem serão importantes para reduzir a freqüência das cheias nos bairros próximos a esses rios. 

Fonte: www.angra.rj.gov.br