Agropecuária

 HORTA NATURAL GANHA ESPAÇO NA RIBEIRA 

 

As hortas domésticas têm adquirido força em pequenos espaços e vêm sendo desenvolvidas para atender a hábitos naturais e instintivos do ser humano que encontra na terra uma identificação  com a natureza.

O casal Jaeder Souza e Ester Souza vieram de Lorena_SP para Angra dos Reis para trabalhar como caseiros. Ele que já traz o hábito familiar de plantar, encontrou no terreno onde trabalha a oportunidade de fazer uma horta doméstica. Começou plantando algumas mudas, reaproveitado material de descarte como a madeira; atualmente, em sua pequena horta  há couve, alface roxa e crespa, salsa, brócolis, cebolinha, manjericão, tomate, pimentão, almeirão branco, chicória, abobrinha, beterraba, entre outras pequenas hortaliças.  Criaram um espaço onde aparentemente não havia espaço para criar.

Na horta criada por Jaeder não se usa fertilizantes  e nem agrotóxicos, dando um resultado natural e orgânico à plantação. O primeiro objetivo de Jaeder era cuidar do terreno de forma que o torne produtivo e dar ao filho de 4 anos um contato maior com a terra. Com o apoio dos proprietários começou a plantação. A criança corre divertindo-se em meio a natureza tendo uma vida mais saudável de interação e integração com meio, proporcionando-lhe uma experiência que muitas crianças hoje não tem acesso. Jaeder deixa clara a vontade de ter um balanço no local feito por ele mesmo para que outras crianças possam ir visitar a horta e sentir-se bem acolhidas, divertindo-se. O proprietário do terreno Pedro Miguel Brito, arquiteto, traz de São Paulo as mudas para a plantação e qua ndo está em Angra dos Reis ele mesmo ajuda a plantar, colher e vender, incentivando e apoiando a iniciativa. 

O surgimento das primeiras hortaliças chamou a atenção dos vizinhos que se interessaram em adquirir aqueles vegetais tão naturais. O terreno fica em uma rua de moradia e com pequenas grades feitas de toras de madeira visível a todos que passam. É um excelente espaço para a visitação de alunos que podem inclusive receber explicações de como é fácil ter uma pequena horta em casa, até mesmo um único espaço com uma hortaliça.

O casal, muito simpático, nos recebeu em uma tarde e contou-nos um pouco de sua história. Vindos do interior de São Paulo chegaram a Angra dos Reis faz cinco meses e logo se apaixonaram pelo clima da cidade. Ele nos contou, muito feliz, que até pescar já aprendeu. “Estou sempre pronto para aprender alguma coisa, assim aprendi a cuidar de jardim, a plantar hortaliças, a reaproveitar materiais de descarte e transformá-los em algo útil”. Diz, mostrando, orgulhoso, o espaço que construiu para guardar materiais e atender melhor os visitantes que hoje vão a horta indicados, boca à boca, para adquirir as verduras e legumes. Da paixão por cuidar da natureza e lidar com a terra, a família encontrou um complemento à renda, mas muito mais que isso encontra a satisfação de uma vida saudável, construtiva e humana onde o casal recebe com alegria os visitantes que vão à busca de um alimento natural e muitas vezes encontram um bom papo e boas histórias.

Jaeder fala sobre o futuro da horta e deixa claro a valorização desse momento, transformando esse agora em algo muito especial em sua vida, de sua família e de todos que com eles interagem.  Ele complementa que no verão, somente será possível manter a horta caso seja implantado um sistema com estufa para preservar do sol intenso. “Talvez eu precise plantar milho, pois é mais resistente ao sol, talvez os proprietários precisem do terreno...” O importante é o que temos agora: uma horta viva, que transforma meu dia a dia e alimenta de forma saborosa e saudável aqueles que as adquirem.

No local, também é possível encontrar mel que é fornecido pelo irmão de Jaeder , vindo da cidade de Cunha- SP. Ele explica sobre a pureza do mel que tem como fator de evidência a cristalização.

“As pessoas têm urgência e a natureza apenas flui.  Uma pequena semente somente precisa estar na terra, sendo regada, cultivada para que com fluidez se transforme em algo frondoso.  A força geradora da própria semente torna-a grandiosa”. Com amor, Jaeder e Ester têm cultivado sementes e tudo o que mais desejam é que novas sementes possam ser plantadas em outros terrenos, por outras mãos e que todas essas raízes se encontrem.

Venham conhecer e adquirir as hortaliças de Jaeder e Ester, que certamente irão colorir seu prato. O alimento é a energia do corpo e quando cultivado com amor, assim nossas células o recebem e isso reflete no corpo e na alma, proporcionando a saúde física e mental necessárias para a vida plena.

Contato: (24) 99852-6234

Rua Ilha dos Coqueiros, 483 -  Ribeira - Angra dos Reis-RJ
( qualquer coisa é só chamar no portão em frente)


Equipe Japuíba On Line
Foto: Arquivo Ester Souza